​​​​​​​ Compromissos Socioambientais

A ENEVA sempre quer ir além. O que era para ser apenas um programa de realocação virou exemplo de cidadania empresarial e desenvolvimento sustentável.

A ENEVA realizou um programa de realocação de 95 famílias, em 2009, associado à instalação da usina termelétrica Itaqui. O programa foi vencedor do Prêmio ECO 2010 na categoria Sustentabilidade e Novos Negócios, uma das mais importantes premiações do Brasil no reconhecimento de empresas sustentáveis.

O processo de reassentamento foi conduzido de acordo com os padrões internacionais e as próprias famílias escolheram onde gostariam de morar: A Vila Residencial Nova Canaã.  As casas construídas pela ENEVA e entregues às famílias foram equipadas com eletrodomésticos, como geladeira, fogão, televisão, além de computador.

Antes a comunidade vivia em uma área próxima a um aterro sanitário, com condições sanitárias precárias e a principal fonte de renda era a coleta de lixo. Hoje, os moradores da Vila Residencial Nova Canaã possuem uma área de 60 hectares doada pela ENEVA para geração de renda através da agricultura, onde são plantadas hortaliças e verduras, o Polo Agrícola Nova Canaã.

A própria ENEVA adquire os produtos desta horta para a alimentação dos seus colaboradores.

Os programas desenvolvidos pela ENEVA de capacitação de mão-de-obra e educação ambiental com agentes comunitários de saúde, entre outros, trazem inúmeros benefícios à população local.

Outras iniciativas da ENEVA, como apoio à preservação dos Lençóis Maranhenses e a publicação do Livro Maranhão: História, Cultura e Natureza, buscam valorizar  o patrimônio do Maranhão, região onde o empreendimento está localizado.

Qualificação

Visando elevar a competitividade da mão-de-obra local para concorrer às vagas da área de construção e almejando a absorção de profissionais qualificados, a ENEVA desenvolveu o Programa de Qualificação Profissional.

O Serviço de Ensino Nacional de Aprendizagem e Indústria (SENAI), parceiro da ENEVA neste projeto, ministrou cursos básicos de ajudantes, pedreiros, pintores, carpinteiros, soldador, almoxarife, NR-10 (norma básica para trabalho com eletricidade) entre outros, preparando cerca de 700 pessoas para o mercado de trabalho.

A ENEVA também realizou o Programa de Qualificação Técnica em parceria com o Instituto Tecnológico do Maranhão (IFMA), que desenvolveu uma grade de cursos específicos para a formação de Operadores de Centrais Termelétricas, com aulas teóricas e de campo, durante 4 meses. Hoje quase 50% dos formados  trabalham na usina Itaqui.​


ENEVA 2.0

Compartilhe esta página e seu conteúdo através das mídias sociais